Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Porto de Futuro

As pessoas e as ideias por detrás das empresas. O Porto como ponto de partida.

Porto de Futuro

As pessoas e as ideias por detrás das empresas. O Porto como ponto de partida.

See-Through: o sistema que “vê” através dos veículos

Fazer uma ultrapassagem a um camião longo pode ser uma operação mais complicada e menos segura em certas situações. Com esta preocupação em mente, um grupo de investigadores do Porto está a desenvolver um sistema que permite ver através dos veículos.


Exemplo de como o sistema pioneiro vai funcionar. Foto: FCUP

 

Com o objetivo de melhorar a comunicação entre veículos e aumentar a segurança rodoviária, o See-Through é um sistema que se aproxima de um espelho retrovisor, mas que permite ver a estrada à frente de um camião ou autocarro que siga à nossa frente.

 

“Imagine que estou atrás de um grande camião que não me permite ver através dele, tornando difícil e desconfortável a avaliação, por exemplo, de uma ultrapassagem, mas esse camião tem uma câmara de para-brisas orientada para a frente. Eu consigo, através do sistema de comunicação entre veículos que desenvolvemos, ir buscar a imagem dessa câmara no para-brisas do camião e transmitir essa visão ao condutor que vem atrás”, explica Michel Ferreira, docente do Departamento de Ciência de Computadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP).

 

A equipa de investigação do Instituto de Telecomunicações está a desenvolver a tecnologia com base num sistema de “realidade aumentada em ambiente de condução automóvel suportada por comunicação sem fios veículo-a-veículo”. O resultado é, segundo o investigador, uma tecnologia inovadora que mostra que “é possível fazer a transmissão vídeo entre veículos com um atraso quase insignificante (200 milissegundos), que não afeta em termos de segurança a manobra de ultrapassagem”.

 

Produzida no âmbito do projeto DRIVE-IN (integrado no Programa Carnegie Mellon Portugal e financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia), a tecnologia foi apresentada pela primeira vez em outubro, no International Symposium on Mixed and Augmented Reality (ISMAR), uma das principais conferências científicas em termos de realidade aumentada a nível mundial.

Taggeo: tudo o que se passa à sua volta numa só aplicação móvel

Está de visita ao Porto e quer tirar o melhor partido da cidade: comer uma francesinha, visitar museus e ir a uma festa. Provavelmente, teria de aceder a vários sites para reunir esta informação, mas agora há uma aplicação que faz este trabalho para o utilizador. Chama-se Taggeo e quer conquistar o mercado internacional.


Pesquisar pontos de interesse e rotas turísticas na Taggeo.

 

Quando surgiu, há cerca de um ano, a Taggeo era uma rede social centrada em mensagens geolocalizadas, ou seja, quando ligávamos a aplicação em determinado local, era possível ver mensagens deixadas por outros utilizadores naquele mesmo local, ou nas proximidades, e deixar novas mensagens. A empresa, incubada no UPTEC, resolveu agora mudar de conceito e alargar as funcionalidades da app.

 

“Só precisamos de uma app para saber o que se passa à nossa volta”, afirma Tiago Fernandes, CEO da Taggeo. Ou seja, se antes tínhamos várias aplicações turísticas, cada uma centrada num tema, a Taggeo “vai buscar várias fontes e entrega o conteúdo ao utilizador de uma forma personalizada”, explica Tiago.

 

Nesta nova versão, lançada na semana passada, é possível encontrar pontos de interesse, eventos ou restaurantes em “qualquer parte do mundo” e pesquisar estas informações sobre “qualquer cidade”, garante o CEO da empresa do Porto.

 

Como é feito este processo? “Todo o processo é automático. Desenvolvemos um algoritmo que vai buscar os dados e os apresenta” de acordo com a geolocalização, responde Tiago Fernandes, referindo que neste momento querem “proteger” este algoritmo de cópias, não fosse esta uma ferramenta valiosa da empresa.

 

A aplicação disponibiliza também rotas turísticas, sem esquecer a vertente social. Os utilizadores podem continuar a deixar mensagens ou fotografias dos locais por onde passaram, podem fazer recomendações, gostar ou partilhar os conteúdos de outros utilizadores.

 

Além de disponibilizar informação de forma automática, a Taggeo permite que outras entidades possam inserir locais ou eventos na aplicação. “Já temos tido uma boa adesão de clientes”, avança Tiago, referindo-se a entidades que querem promover locais, venda de rotas online e publicidade.

 

14 mil utilizadores

A Taggeo conta já com 14 mil utilizadores, em Portugal e no estrangeiro, um número simpático para uma aplicação que usou o “passa palavra” como marketing. Tailândia, Reino Unido, Brasil, Espanha e Itália são alguns dos países onde já se usa a Taggeo para encontrar o que fazer numa cidade.

 

Mas com tantas aplicações sobre turismo, ainda há espaço no mercado para mais uma? “Tenho a certeza que sim, até por uma razão simples. Existem imensas aplicações que se centram só num tema, a Taggeo condensa tudo e poupa tempo ao utilizador”, explica Tiago Fernandes, sublinhando que uma das prioridades da empresa é a internacionalização.

 

A nova versão da Taggeo está disponível neste momento para o sistema operativo IOS. Até ao fim do mês, é lançada a versão Android e no fim do ano, a versão para Windows Phone.

 

Alice Barcellos

UPTEC vai ter centro de investigação em telecomunicações

O Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto - UPTEC e a CELFOCUS (uma parceria entre a Vodafone Portugal e a Novabase) assinaram esta quarta-feira um acordo que pretende explorar o conhecimento e o capital humano do UPTEC no setor das telecomunicações.


O novo centro de investigação tecnológica nacional e internacional está alojado num espaço de cerca de 500m2, no Polo Universitário da Asprela, e vai desenvolver produtos e serviços para o mercado das telecomunicações.

 

Aplicações móveis, soluções máquina-a-máquina e integração de aplicações empresariais serão as principais áreas de atividade, apoiando-se na transferência de tecnologia, conhecimento e incorporação de recursos humanos da Universidade do Porto e de outras instituições, principalmente nos campos da engenharia e tecnologia.

 

As atividades serão desenvolvidas não só pelos alunos das licenciaturas, mestrados e doutoramentos, que beneficiarão do contato com o mercado de trabalho, como pelas start-ups incubadas no UPTEC.

Olá!

Seja bem-vindo. Se chegou até aqui veio à procura de ideias novas, negócios em ascensão e mentes criativas. Este blog é o lado mais visível da parceria entre o Portal SAPO e o UPTEC - Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto. Fique mais um pouco e sinta-se em casa :)

UPTEC

SAPO

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mensagens

Posts mais comentados