Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Porto de Futuro

As pessoas e as ideias por detrás das empresas. O Porto como ponto de partida.

Porto de Futuro

As pessoas e as ideias por detrás das empresas. O Porto como ponto de partida.

Agência Espacial Europeia escolhe Portugal para incubar negócios

São oito milhões de euros para investir nos próximos cinco anos em cerca de 30 empresas. Estes são alguns números apresentados pela Agência Espacial Europeia (ESA), que escolheu Portugal para fazer uma ponte entre a tecnologia espacial e outros setores.

Dragon_and_robotic_arm.jpgUma foto da Estação Espacial Internacional divulgada pela ESA

 

O projeto da ESA vai estar divido por três incubadoras que já existem no país: o Instituto Pedro Nunes, em Coimbra, o UPTEC, no Porto, e a DNA Cascais. A ESA BIC Portugal, assim se vai chamar o programa, quer apoiar startups que desenvolvam tecnologia voltada para o espaço mas que depois possa ser adaptada a outros setores, como saúde, energia, transportes, segurança e vida urbana.

 

São cinco anos para apoiar 30 projetos e gerar cerca de 120 postos de trabalho. Cada startup vai receber um financiamento de 50 mil euros. As candidaturas começam a 5 de novembro.

 

Sabe mais sobre o programa aqui.

Quatro startups portuguesas aceleram ideias nos Estados Unidos

Programa de aceleração na Carnegie Mellon University conta com a participação de quatro startups portuguesas. São oito semanas para levar negócios inovadores feitos em Portugal a um dos maiores mercados do mundo.

 

Mas vamos ao que interessa: quem foram as escolhidas e o que fazem. A WeTruck, que venceu o concurso de ideias da Universidade do Porto este ano, está a desenvolver um sistema de recuperação de energia para veículos pesados, que permite poupar no combustível e ainda minimizar os efeitos da poluição no meio ambiente.

 

Xhockware promete acabar com as filas no supermercado através da tecnologia que está a desenvolver. Uma aplicação para smartphones em que o consumidor pode organizar uma lista de compras, ver as promoções do dia e agilizar o processo de pagamento, já que os produtos não precisam passar pela caixa. Estas duas startups estão incubadas no polo tecnológico da UPTEC e foram distinguidas, no ano passado, na segunda edição do Startup Pitch Day.

A aplicação YouBeep, da Xhockware, já está disponível

 

Do programa BlueStart, da Portugal Telecom, chega aos Estados Unidos a Followprice, uma plataforma de marketing digital para sites de comércio eletrónico que permite aos clientes acompanhar a evolução dos seus produtos favoritos.

 

De Braga vem uma ideia que promete revolucionar a forma como comunicamos no espaço público. A Displr quer desenvolver um serviço global de ecrãs públicos interativos em que todos os utilizadores podem criar e publicar conteúdos.

 

A partir desta semana e durante dois meses, estas startups portuguesas vão ter a oportunidade de acelerar as suas ideias na Universidade de Carnegie Mellon, em Pittsburgh, com o foco no desenvolvimento de novos produtos e serviços, nas competências de liderança e gestão, sem esquecer assuntos ligados à propriedade intelectual. São oito semanas para dar-se a conhecer a possíveis investidores, parceiros e novos contactos, através da participação em seminários, reuniões e feiras.

 

Esta iniciativa faz parte do inRes, que tem como objetivo acelerar negócios na área das tecnologias de informação e comunicação (TIC), coordenado pelo programa Carnegie Mellon Portugal.

 

Fonte: SAPO

Ideias “aceleradas” para negócios vencedores

Uma tecnologia que extermina “bugs” informáticos das empresas, drones "nadadores-salvadores", uma plataforma que nos ajuda a ficar mais bonitos e um estúdio que quer tornar as nossas ruas e praças mais agradáveis. Ideias transformadas em negócios que foram apresentados ao público, no Porto.

 

Ao todo, 17 novos projetos empresariais das áreas de tecnologia, indústrias criativas e biotecnologia e mar participaram na terceira edição do Programa de Aceleração de Startups do UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto. Segunda-feira foi o dia “P”, de pitch, com a apresentação final das ideias de negócio ao público, possíveis investidores e a um júri que, no fim, escolheu os vencedores. O evento decorreu na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

 

Mas antes de entrarmos em detalhes sobre os projetos, convém perceber o que é isso de acelerar ideias. Através do programa de aceleração, o UPTEC faz com que o mundo das ideias conheça o mundo dos negócios. O que nem sempre é fácil. Durante seis meses, os projetos escolhidos para participar no programa frequentam workshops, reuniões individuais, recebem o apoio de vários mentores e participam em eventos para angariar contactos. O objetivo é transformar uma ideia inovadora num negócio dotado das ferramentas necessárias para conquistar o seu espaço no mercado. As inscrições para a quarta edição do programa de aceleração terminam nesta quinta-feira.

 

O dia do pitch

 

O culminar desta escalada é a apresentação da ideia de negócio num tempo reduzido (três minutos e 20 segundos, com direito a buzina para quem passar), num dia que é também uma celebração para aqueles que chegam ao fim do programa e iniciam uma nova fase no seu negócio. Muitos projetos da área tecnológica, como a Beauti, a Digital Soul Games ou a SIMI, aproveitaram o dia do pitch para apresentarem novidades – novo site, novos jogos e um novo cliente.

 

 

Durante o pitch, os projetos têm de vender o seu peixe da melhor maneira. Um “peixe” que pode ser tão variado como um protótipo para transformar qualquer bicicleta normal numa bicicleta elétrica (eMotion), um projeto que quer ajudar os agricultores a produzirem mais e melhores cogumelos (Melus), a reutilização de resíduos e sub-produtos industriais para criar objetos de design (Matter) ou uma sessão de “detox” digital através do teatro (Theatre for Enterpreneurs). Provas de que qualquer ideia pode ser transformada em negócio, contrariando, em parte, a moda das aplicações e das plataformas online.

 

No fim de uma tarde cheia de projetos, sangue na guelra e ambiente informal, o júri deu o primeiro prémio a Crowbar, uma startup especializada em testes de software e que desenvolveu uma tecnologia capaz de encontrar "bugs" de forma a reduzir até 75% a quantidade de tempo gasta em depuração. A Beauti (plataforma para profissionais e clientes de beleza e bem-estar) recebeu a menção honrosa na área de tecnologia, a Still Urban Design (estúdio de urbanismo de desenho bioclimático) foi distinguida no setor criativo e o Sky Angel (drone especializado na prevenção de morte por afogamento) foi o escolhido pelo júri na área de biotecnologia e mar.

 

Daqui a seis meses, sai mais uma “fornada” de ideias aceleradas. Até lá, vamos tentar conhecer um pouco mais os projetos distinguidos nesta edição do programa de aceleração.

 

Fonte: SAPO

Olá!

Seja bem-vindo. Se chegou até aqui veio à procura de ideias novas, negócios em ascensão e mentes criativas. Este blog é o lado mais visível da parceria entre o Portal SAPO e o UPTEC - Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto. Fique mais um pouco e sinta-se em casa :)

UPTEC

SAPO

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mensagens

Em destaque no SAPO Blogs
pub