Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Porto de Futuro

As pessoas e as ideias por detrás das empresas. O Porto como ponto de partida.

Porto de Futuro

As pessoas e as ideias por detrás das empresas. O Porto como ponto de partida.

UPTEC é um exemplo positivo na utilização de fundos comunitários

O UPTEC - Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto foi escolhido pela União Europeia como um exemplo português da boa utilização de fundos europeus para a promoção do crescimento económico e da criação de emprego.

 

Em menos de sete anos de existência, o UPTEC contribuiu para desenvolver uma verdadeira economia de conhecimento no norte do país, apoiando 187 projetos de negócio e contribuindo para criar mais de 1200 empregos qualificados na região do Porto.

unnamed.jpg

Por ser uma ilustração concreta da ação da UE no nosso país, a entidade selecionou o Parque para fazer parte da campanha União Europeia Trabalhamos para si, lançada ontem pelo Comissário Europeu da Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas. Esta campanha, que pretende explicar aos cidadãos como a União Europeia contribui de forma concreta para o crescimento económico, será lançada em seis países-piloto, indo para o ar em Portugal a 28 de novembro.

 

Como exemplo do trabalho desenvolvido pelo UPTEC foram selecionadas três startups: WiseCrop, LIKEarchitects e Veniam. O Wisecrop permite fazer a monitorização de plantações agrícolas, oferecendo ao produtor indicadores de apoio à decisão, modelos avançados de previsão e ainda a possibilidade de integração com o sistema de rega. A prática dos LIKEarchitects, de carácter experimental e provocatório, situa-se entre a arquitetura, a arte e a instalação, e tem encontrado nas intervenções efémeras um processo de experimentação espacial e material, investigando novos campos de ação da arquitetura. Por sua vez, a Veniam é uma empresa de base tecnológica que comercializa tecnologias de redes sem fios para comunicação entre veículos, com especial enfoque em aplicações de mobilidade inteligente e na ligação de veículos à Internet.

 

Para apoiar esta campanha, e porque uma imagem vale mais que mil palavras, os artistas portuenses Frederico “Draw” e Nuno “Third” Palhas, criaram uma instalação artística a ilustrar as três histórias das empresas apoiadas pelo UPTEC. As obras de arte estarão disponíveis ao público em geral a 20 e 21 de novembro, no Torreão Nascente do Terreiro do Paço, em Lisboa.

 

Desde o início da crise financeira, a UE tem sido o principal investidor em Portugal. Com um novo orçamento global de 21 mil milhões de euros alocados ao país para o período de 2014-2020, a UE pretende contribuir para diminuir o desemprego que continua a afetar um em cada seis portugueses e mais de um em três jovens no país. Esta campanha de informação centra-se, assim, na forma como a UE investe para melhorar o empreendedorismo e a inovação empresarial em Portugal, bem como para desenvolver o emprego jovem e para dinamizar a economia local, sobretudo graças à partilha de I&D entre o mundo académico e empresarial.

 

Fonte: UPTEC

Ideias “aceleradas” para negócios vencedores

Uma tecnologia que extermina “bugs” informáticos das empresas, drones "nadadores-salvadores", uma plataforma que nos ajuda a ficar mais bonitos e um estúdio que quer tornar as nossas ruas e praças mais agradáveis. Ideias transformadas em negócios que foram apresentados ao público, no Porto.

 

Ao todo, 17 novos projetos empresariais das áreas de tecnologia, indústrias criativas e biotecnologia e mar participaram na terceira edição do Programa de Aceleração de Startups do UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto. Segunda-feira foi o dia “P”, de pitch, com a apresentação final das ideias de negócio ao público, possíveis investidores e a um júri que, no fim, escolheu os vencedores. O evento decorreu na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

 

Mas antes de entrarmos em detalhes sobre os projetos, convém perceber o que é isso de acelerar ideias. Através do programa de aceleração, o UPTEC faz com que o mundo das ideias conheça o mundo dos negócios. O que nem sempre é fácil. Durante seis meses, os projetos escolhidos para participar no programa frequentam workshops, reuniões individuais, recebem o apoio de vários mentores e participam em eventos para angariar contactos. O objetivo é transformar uma ideia inovadora num negócio dotado das ferramentas necessárias para conquistar o seu espaço no mercado. As inscrições para a quarta edição do programa de aceleração terminam nesta quinta-feira.

 

O dia do pitch

 

O culminar desta escalada é a apresentação da ideia de negócio num tempo reduzido (três minutos e 20 segundos, com direito a buzina para quem passar), num dia que é também uma celebração para aqueles que chegam ao fim do programa e iniciam uma nova fase no seu negócio. Muitos projetos da área tecnológica, como a Beauti, a Digital Soul Games ou a SIMI, aproveitaram o dia do pitch para apresentarem novidades – novo site, novos jogos e um novo cliente.

 

 

Durante o pitch, os projetos têm de vender o seu peixe da melhor maneira. Um “peixe” que pode ser tão variado como um protótipo para transformar qualquer bicicleta normal numa bicicleta elétrica (eMotion), um projeto que quer ajudar os agricultores a produzirem mais e melhores cogumelos (Melus), a reutilização de resíduos e sub-produtos industriais para criar objetos de design (Matter) ou uma sessão de “detox” digital através do teatro (Theatre for Enterpreneurs). Provas de que qualquer ideia pode ser transformada em negócio, contrariando, em parte, a moda das aplicações e das plataformas online.

 

No fim de uma tarde cheia de projetos, sangue na guelra e ambiente informal, o júri deu o primeiro prémio a Crowbar, uma startup especializada em testes de software e que desenvolveu uma tecnologia capaz de encontrar "bugs" de forma a reduzir até 75% a quantidade de tempo gasta em depuração. A Beauti (plataforma para profissionais e clientes de beleza e bem-estar) recebeu a menção honrosa na área de tecnologia, a Still Urban Design (estúdio de urbanismo de desenho bioclimático) foi distinguida no setor criativo e o Sky Angel (drone especializado na prevenção de morte por afogamento) foi o escolhido pelo júri na área de biotecnologia e mar.

 

Daqui a seis meses, sai mais uma “fornada” de ideias aceleradas. Até lá, vamos tentar conhecer um pouco mais os projetos distinguidos nesta edição do programa de aceleração.

 

Fonte: SAPO

Empresa do Porto cria tecnologia que deteta primeiras chamas de incêndio florestal

Uma empresa, incubada no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC), desenvolveu uma nova tecnologia capaz de detetar as primeiras chamas de um incêndio florestal, permitindo às forças de combate uma atuação “mais rápida”.

 

“A nova tecnologia tem um sensor que deteta, até cerca de 12 quilómetros de distância, um aumento de temperatura e uma variação na concentração de dióxido de carbono em ambiente florestal, emitindo um alerta aos meios de socorro”, afirmou hoje à Lusa a responsável de desenvolvimento de negócio da empresa Flicks, autora do projeto, Marina Machado.

 

Este projeto, ainda em fase piloto, dá indicações aos meios de socorro da localização exata, intensidade e propagação do incêndio, assim como os meios necessários e trajetos mais indicados para lá chegar, logo “nos primeiros minutos”.

 

Uma tecnologia para ajudar os bombeiros. Foto: Lusa

 

“Desta forma, os bombeiros podem intervir de uma forma mais rápida e eficiente no combate às chamas evitando, assim, o aumento da área ardida”, afiançou. Marina Machado explicou que o alerta dado por esta tecnologia é, antes de emitido às forças de comando, confirmado pelo sensor que estiver mais próximo.

 

“A tecnologia é colocada de 12 em 12 quilómetros, em estruturas já existentes nas florestas, tais como antigas casas florestais, e na sua ausência são construídos novos postos sempre acima da copa da árvore e com o menor impacto ambiental”, explicou a responsável. E, acrescentou, “a tecnologia cobre o equivalente a 40 campos de futebol”. A investigadora salientou que a tecnologia funciona 24 horas por dia, através de energia eólica ou solar.

 

A investigação para o desenvolvimento deste projeto-piloto iniciou-se há cerca de dois anos e, após aprovação dos testes laboratoriais, espera agora ser implementada no mercado, necessitando de um investimento de 50 mil euros, referiu Marina Machado.

 

Segundo a responsável, a motivação do desenvolvimento deste projeto prendeu-se com o objetivo de combater um “flagelo” que todos os anos afeta o país. “Acreditamos que a tecnologia é uma ferramenta de apoio e uma mais-valia para as forças de combate aos incêndios”. Marina Machado realçou ainda que a tecnologia dá indicações sobre o crescimento de espécies arbóreas na floresta.

 

O pró-reitor da Universidade do Porto (UP) Carlos Brito considerou que este projeto “mais não é” do que a materialização do conhecimento gerado no seio das faculdades, criando “valor económico e social”. "Esta tecnologia é extremamente benéfica para a sociedade, porque poupa vidas humanas e protege a floresta”, realçou o também diretor do UPTEC.

 

O UPTEC, em funcionamento há sete anos e cofinanciado em 15,4 milhões de euros por fundos comunitários, acolhe atualmente mais 185 projetos empresariais e gerou entre 2200 a 2500 postos de trabalho, revelou o responsável. Em 2013, o UPTEC, que engloba um polo tecnológico, biotecnológico, indústrias criativas e do mar, venceu o prémio europeu RegioStars na categoria ‘Crescimento Inteligente’.

 

Agência LUSA

Olá!

Seja bem-vindo. Se chegou até aqui veio à procura de ideias novas, negócios em ascensão e mentes criativas. Este blog é o lado mais visível da parceria entre o Portal SAPO e o UPTEC - Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto. Fique mais um pouco e sinta-se em casa :)

UPTEC

SAPO

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mensagens

Em destaque no SAPO Blogs
pub