Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Porto de Futuro

As pessoas e as ideias por detrás das empresas. O Porto como ponto de partida.

Porto de Futuro

As pessoas e as ideias por detrás das empresas. O Porto como ponto de partida.

Trabalho: é hora de fazer exercício físico

Quem nunca terminou um dia de trabalho com algum tipo de dor que atire a primeira pedra. Qualquer função pode trazer desconforto físico. Tudo depende da forma como tratamos o nosso corpo durante o trabalho. Já pensou nisso? Provavelmente sim, mas talvez nunca tenha pensado no que pode fazer durante o horário laboral para melhorar a situação. Não tem mal, a E-Act pode dar uma (grande) ajuda.

 

 

A E-Act, junção de Empresa Activa, tem como principais campos de atuação o exercício físico laboral, a conscientização para questões de ergonomia no local de trabalho e a fisioterapia preventiva. A empresa, incubada no UPTEC, tem uma carteira de clientes que vai desde a Jerónimo Martins, Efacec, RTE, até empresas tecnológicas como a Adclick e a Blip.

 

Com uma equipa polivalente, Helena Pereira e Caroline Prufer começaram a desenvolver a metodologia da empresa em 2008, ainda na faculdade, durante um projeto de investigação liderado por Rui Garganta, docente da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP). Descobriram, entretanto, que havia uma oportunidade de negócio e fundaram a empresa em 2010. O facto de terem nascido numa faculdade “fez toda a diferença na metodologia de trabalho adotada”, explica Caroline Prufer, fisioterapeuta especializada em saúde do trabalhador.

 

Apesar de ser “um serviço que ainda está a conquistar espaço em Portugal”, a E-Act tem conseguido “manter clientes desde o início” e neste momento está a apostar em empresas da área das Tecnologias de Informação. “A nossa metodologia está em constante evolução”, salienta Helena Pereira, licenciada em educação física e mestre em atividade física e saúde.

 

As duas profissionais acreditam que a empresa consegue distinguir-se no mercado ao apresentar indicadores científicos que comprovam o aumento da produtividade nas empresas que adotam práticas para melhorar a saúde dos trabalhadores.

 

Em 2015, a E-Act vai expandir-se para o centro e o sul do país, estando já a dar formação a novos profissionais. A empresa foi também contactada pelo secretário de estado do desporto para desenvolver uma formação para os profissionais da área, já que esta ainda é uma disciplina pouco explorada no ensino superior.

 

Fonte: SAPO

Ideias “aceleradas” para negócios vencedores

Uma tecnologia que extermina “bugs” informáticos das empresas, drones "nadadores-salvadores", uma plataforma que nos ajuda a ficar mais bonitos e um estúdio que quer tornar as nossas ruas e praças mais agradáveis. Ideias transformadas em negócios que foram apresentados ao público, no Porto.

 

Ao todo, 17 novos projetos empresariais das áreas de tecnologia, indústrias criativas e biotecnologia e mar participaram na terceira edição do Programa de Aceleração de Startups do UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto. Segunda-feira foi o dia “P”, de pitch, com a apresentação final das ideias de negócio ao público, possíveis investidores e a um júri que, no fim, escolheu os vencedores. O evento decorreu na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

 

Mas antes de entrarmos em detalhes sobre os projetos, convém perceber o que é isso de acelerar ideias. Através do programa de aceleração, o UPTEC faz com que o mundo das ideias conheça o mundo dos negócios. O que nem sempre é fácil. Durante seis meses, os projetos escolhidos para participar no programa frequentam workshops, reuniões individuais, recebem o apoio de vários mentores e participam em eventos para angariar contactos. O objetivo é transformar uma ideia inovadora num negócio dotado das ferramentas necessárias para conquistar o seu espaço no mercado. As inscrições para a quarta edição do programa de aceleração terminam nesta quinta-feira.

 

O dia do pitch

 

O culminar desta escalada é a apresentação da ideia de negócio num tempo reduzido (três minutos e 20 segundos, com direito a buzina para quem passar), num dia que é também uma celebração para aqueles que chegam ao fim do programa e iniciam uma nova fase no seu negócio. Muitos projetos da área tecnológica, como a Beauti, a Digital Soul Games ou a SIMI, aproveitaram o dia do pitch para apresentarem novidades – novo site, novos jogos e um novo cliente.

 

 

Durante o pitch, os projetos têm de vender o seu peixe da melhor maneira. Um “peixe” que pode ser tão variado como um protótipo para transformar qualquer bicicleta normal numa bicicleta elétrica (eMotion), um projeto que quer ajudar os agricultores a produzirem mais e melhores cogumelos (Melus), a reutilização de resíduos e sub-produtos industriais para criar objetos de design (Matter) ou uma sessão de “detox” digital através do teatro (Theatre for Enterpreneurs). Provas de que qualquer ideia pode ser transformada em negócio, contrariando, em parte, a moda das aplicações e das plataformas online.

 

No fim de uma tarde cheia de projetos, sangue na guelra e ambiente informal, o júri deu o primeiro prémio a Crowbar, uma startup especializada em testes de software e que desenvolveu uma tecnologia capaz de encontrar "bugs" de forma a reduzir até 75% a quantidade de tempo gasta em depuração. A Beauti (plataforma para profissionais e clientes de beleza e bem-estar) recebeu a menção honrosa na área de tecnologia, a Still Urban Design (estúdio de urbanismo de desenho bioclimático) foi distinguida no setor criativo e o Sky Angel (drone especializado na prevenção de morte por afogamento) foi o escolhido pelo júri na área de biotecnologia e mar.

 

Daqui a seis meses, sai mais uma “fornada” de ideias aceleradas. Até lá, vamos tentar conhecer um pouco mais os projetos distinguidos nesta edição do programa de aceleração.

 

Fonte: SAPO

Novas ideias de negócio: Sexta-feira é dia P, de “pitch”

Saúde, cultura, tecnologia, turismo, transportes e comércio são algumas das áreas escolhidas por 20 ideias de negócio que esta sexta-feira mostram o que valem no Auditório Nobre da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto.

 

A sessão de “pitch” (apresentação do negócio) do Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC) é o resultado de seis meses do programa de aceleração de start-ups que visa dotar os empreendedores com conhecimentos nas vertentes de cliente/mercado, produto, modelo de negócio, finanças e equipa.

 

Realizado em colaboração com mentores e especialistas, o programa de aceleração de start-ups do UPTEC pretende abordar as temáticas chave da criação de negócio, fazendo com que os empresários consigam, de forma mais eficaz, validar e implementar as suas ideias no mercado, nacional e internacional.

 

Para avaliar as ideias de negócio e escolher o melhor "pitch" estarão presentes representantes da ADDICT, Ah Business, Bial, Canal 180, Eurocloud, FBAUP, FEUP, Instituto de Telecomunicações, Microsoft, Sonae, STI International e Vodafone. Um júri composto por especialistas de diferentes áreas, desde as mais criativas à tecnologia e saúde.

 

O evento, que começa às 14h30, marca o fim da 2ª edição do programa de aceleração de Startups. As candidaturas para o próximo programa encontram-se abertas até ao dia 23 de março. Saiba mais aqui.

Olá!

Seja bem-vindo. Se chegou até aqui veio à procura de ideias novas, negócios em ascensão e mentes criativas. Este blog é o lado mais visível da parceria entre o Portal SAPO e o UPTEC - Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto. Fique mais um pouco e sinta-se em casa :)

UPTEC

SAPO

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mensagens