Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Porto de Futuro

As pessoas e as ideias por detrás das empresas. O Porto como ponto de partida.

Porto de Futuro

As pessoas e as ideias por detrás das empresas. O Porto como ponto de partida.

S de Start-up

Contrariamente, ao que muitas vezes se pensa, uma start-up não é uma versão em ponto pequeno de uma empresa, nem qualquer empresa num estado inicial pode ser considerada uma start-up. O termo start-up significa iniciar. No universo empresarial significa começar um novo negócio, podendo ser aplicado em várias situações, desde o início de um pequeno negócio até a criação de uma filial de uma empresa noutro território ou um grande projeto.

 

O termo ganhou força com o “boom” da internet, entre 1996 e 2001, mas há várias décadas que é utilizado nos EUA. Em Portugal, o conceito ficou mais conhecido com a popularização do empreendedorismo e o apelo e incentivo de várias forças da sociedade à criação do próprio negócio nos últimos anos. Pode dizer-se que uma start-up é o primeiro estado do ciclo de vida de uma empresa, sendo este temporário. Nesta fase, depois de consolidada a ideia, a empresa começa a tentar encontrar formas de rentabilizar a mesma, iniciando a comercialização do produto ou serviço. Nesta altura os trabalhadores da empresa procuram um modelo de negócio - como transformar o trabalho em dinheiro - escalável, repetitivo e lucrativo, num ambiente de extrema incerteza. Ao mesmo tempo, ainda existem poucos clientes e o conhecimento sobre eles ainda é escasso. Há várias características inerentes a estas novas empresas:

 

Inovação: o seu produto, serviço e/ou modelo de negócio tem de ter algo inovador, que se diferencie do que já existe no mercado, de forma a que isso seja uma vantagem competitiva.

 

Escalabilidade: o modelo de negócio tem de ser capaz de fazer a empresa crescer de forma rápida sem exigir na mesma proporção recursos humanos e financeiros. Daí, muitas start-ups conseguirem crescimentos de mais de 100 por cento nos primeiros anos de vida.

 

Ter potencial para atingir grandes mercados: os produtos/serviços desta empresa têm de atingir potencialmente milhares ou milhões de utilizadores para que possa crescer continuadamente.

 

Querer chegar mais longe: a maioria das start-ups nascem com o intuito de se tornarem grandes empresas no futuro, mas existem outras com diferentes objetivos: auxiliar projetos-âncora de grandes empresas ou mesmo a realização pessoal do empreendedor.

 

Flexibilidade: Estas empresas precisam de ser muito flexíveis e adaptáveis, de forma a, sempre que seja necessário, através da inovação, adequar o seu produto/serviço à procura do mercado.

 

A partir do momento em que a empresa consegue ser rentável, deixa de ser uma start-up e passa a ser uma empresa sustentável e lucrativa. Nem todas as start-ups conseguem este feito. Muitas delas, não conseguindo tornar-se rentáveis, terão de se reinventar ou mesmo deixar de existir.

 

Existem vários tipos de start-ups consoante o setor onde se inserem. Empresas, hoje milionárias, como o Facebook ou You Tube começaram com um modelo de start-up, associadas a universidades americanas. Apesar disto, as start-ups não são apenas empresas do setor tecnológico. Qualquer negócio pode começar por ser uma start-up desde que o modelo se torne repetível, escalável e, a médio prazo, sustentável.

Olá!

Seja bem-vindo. Se chegou até aqui veio à procura de ideias novas, negócios em ascensão e mentes criativas. Este blog é o lado mais visível da parceria entre o Portal SAPO e o UPTEC - Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto. Fique mais um pouco e sinta-se em casa :)

UPTEC

SAPO

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mensagens