Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Porto de Futuro

As pessoas e as ideias por detrás das empresas. O Porto como ponto de partida.

Porto de Futuro

As pessoas e as ideias por detrás das empresas. O Porto como ponto de partida.

Projeto quer revitalizar comércio tradicional do Porto

São três da tarde, está no centro do Porto e precisa comprar uma agulha. A tarefa pode ser mais fácil do que imagina, principalmente se conhecer o projeto Porto Paralelo, que pretende reatar os laços entre consumidores e comércio tradicional.

 

 

Já se foi o tempo em que o Porto era uma cidade sem centros comerciais, onde as compras eram feitas nas ruas, cada uma com a sua tradição comercial. Mas, apesar da crise e das grandes superfícies, a cidade consegue manter pérolas do comércio tradicional, ainda que muitas lojas estejam hoje em dia voltadas para o turismo.

 

É o caso da Casa Madureira, aberta desde 1944, especializada em têxteis para o lar, mas que hoje vende 90 por cento dos seus produtos para turistas. O mesmo não acontece com a Neves & Loureiro, loja especializada em equipamento elétrico há 66 anos, e que, além de manter clientes fiéis, faz entregas para vários pontos do país. Os exemplos são muitos e estão a ser compilados num mapa pela equipa do Porto Paralelo.

 

Tudo começou quando Marta Nestor, habituada desde criança a frequentar as lojas da Baixa, resolveu fazer o projeto final da sua licenciatura em design da comunicação, na Faculdade de Belas-Artes do Porto, sobre o principal problema do comércio tradicional: “a falta de comunicação”.

 

“Fiz o levantamento de 24 lojas, entre informação útil, história da casa e recolha fotográfica, e compilei tudo num roteiro chamado Porto Paralelo”, explica Marta Nestor. Quando acabou o curso, a designer sentiu que o projeto tinha pernas para andar e decidiu formar uma equipa para que o Porto Paralelo passasse de um projeto universitário para uma start-up.

 

A face mais visível do Porto Paralelo é, para já, um site onde é possível navegar por um mapa com as várias lojas compiladas pela equipa – neste momento lojas com mais de 50 anos de existência. Em breve, será lançada uma aplicação móvel. Mas o trabalho diário passa pelo contacto constante com os comerciantes, um dos pontos que distingue o Porto Paralelo de outras associações comerciais. “Sabemos que as outras associações, por questões logísticas, não têm capacidade de estarem no terreno diariamente e isso é o que queremos fazer”, conta Marta.

 

“Queremos aproveitar não só para alavancar o comércio tradicional, não o deixando morrer, mas também conservá-lo para um público que tem vindo mais à cidade, que são os turistas”, resume Marta, salientando que o Porto mantém uma característica que chama muito a atenção dos turistas: “a possibilidade de ter um espaço interessante num número de porta, mas depois ter toda uma rua que justifica esta época e esta história”.

 

Pensando nos turistas, e não só, o Porto Paralelo vai lançar em breve rotas pelo comércio tradicional e workshops. A partir de 2014, o trabalho de consultoria com lojas e associações comerciais vai ser também uma vertente do projeto que, de resto, já está a ser experienciada na rua de Cedofeita.

 

Alice Barcellos

Olá!

Seja bem-vindo. Se chegou até aqui veio à procura de ideias novas, negócios em ascensão e mentes criativas. Este blog é o lado mais visível da parceria entre o Portal SAPO e o UPTEC - Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto. Fique mais um pouco e sinta-se em casa :)

UPTEC

SAPO

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Mensagens